Interdidática São Paulo – 2009

De 1 a 3 de Abril aconteceu, no Palácio de Convenções do Anhembi, a Feira+Fórum+Seminários Interdidática. Eduardo e eu tivemos a oportunidade de comparecer ao evento durante os três dias.

No dia 2 nós demos uma palestra no Fórum, com o tema “A Tecnologia na Gestão da Aprendizagem Escolar”.

Abaixo segue o resumo da palestra e a íntegra de uma entrevista que concedemos à Denise Redel, da organização do evento. A entrevista foi publicada no Blog (http://www.interdidatica.com.br/blog/).

—————

Sinopse

A tecnologia pode ser usada na escola como ferramenta de produtividade, de aprendizagem ou de gestão. Nesta função, a tecnologia pode ser usada na gestão dos processos puramente administrativos (recursos humanos, materiais, instalações, finanças, etc.) ou na gestão dos processos pedagógicos.

Os chamados Sistemas de Gestão da Aprendizagem (SGA) em regra não fazem jus ao nome porque negligenciam o fato de que os processos pedagógicos têm um componente tipicamente operacional, que é privilegiado pela maioria desses sistemas, e um componente, em geral negligenciado por eles, voltado para especificar o que a escola espera que os alunos aprendam (currículo), através de quais processos espera que o façam (metodologia) e o que eles, de fato, aprendem (avaliação). Esse componente negligenciado, entretanto, deveria constituir o núcleo essencial dos SGAs.

A palestra vai discutir as funcionalidades que SGAs devem conter para fazer jus ao nome; os serviços que podem prestar aos gestores de unidades e de sistemas escolares, aos profissionais pedagógicos da escola, aos pais dos alunos, e aos próprios alunos; e a contribuição que podem trazer para a personalização da educação e para a melhoria de sua qualidade.

Ficará evidente, ao longo da exposição, que apenas um sistema que utilize tecnologia sofisticada, tanto no nível dos bancos de dados como no nível da lógica do sistema e da interface com o usuário, pode atender a essas expectativas.

—————

Entrevista

1 – Qual a sua opinião sobre a iniciativa da Interdidática em idealizar este evento?

Hoje em dia são imprescindíveis os congressos que procuram discutir a educação — em especial o papel que a tecnologia pode ter, tanto na melhoria do acesso da população aos ambientes e processos formais de aprendizagem, como no aperfeiçoamento da qualidade da aprendizagem que ali ocorre. Dentre esses congressos, a Interdidática tem destaque especial no Brasil.

Eventos voltados para o uso da tecnologia no treinamento já são bastante consagrados na área corporativa de nosso país. Entretanto, na área da educação, o Brasil ainda tem muito espaço para crescer. Estivemos recentemente na BETT (British Education and Training Technology), na Inglaterra, considerado o maior evento mundial voltado para o uso da tecnologia na educação. Ali constatamos o quanto o Brasil ainda pode crescer e percebemos as diversas direções em que esse crescimento pode se dar. A Interdidática é um excelente veículo para esse crescimento e para a exploração de novos caminhos.

2 – Sobre a sua palestra, quais seriam os pontos fortes, as novas idéias que serão apresentadas?

Quando se fala em tecnologia na educação, normalmente dois aspectos são considerados. Um se refere ao uso da tecnologia no processo de aprendizagem dos alunos. O outro se refere ao uso da tecnologia na gestão da escola.

O uso da tecnologia na gestão da escola pode ainda ser dividido em dois aspectos: a gestão da escola como instituição e a gestão da escola como ambiente de aprendizagem. No primeiro aspecto a tecnologia tem contribuído com sistemas de contabilidade, folha de pagamento, controle de estoque, recursos humanos. No segundo aspecto, porém, que envolve a gestão da aprendizagem, o foco tem ficado quase que exclusivamente na administração de horários, salas, materiais pedagógicos, notas dos alunos, histórico escolar, etc. – com a aprendizagem, propriamente dita, ficando no segundo plano.

O que a nossa palestra pretende mostrar é que a razão de ser da escola, seu fim essencial, está na aprendizagem dos seus alunos. Todas as outras questões, tanto as envolvidas na gestão da escola como instituição (contabilidade, etc.), como as envolvidas na gestão da escola como ambiente de aprendizagem (horários, salas, etc.) precisam ser encaradas como meios para a atividade fim da escola, a aprendizagem dos alunos. Isso significa que o foco de sistemas de gestão da aprendizagem, sem negligenciar as questões de horário, salas, etc., precisa se deslocar para o processo de aprendizagem: currículo (o que os alunos devem aprender?), metodologia (como os alunos devem aprender?), avaliação (como determinar se os alunos aprenderam?).

A partir disso, a questão discutida passa a ser qual o papel que a tecnologia pode ter na gestão da aprendizagem dos alunos (currículo, metodologia, avaliação). Para a discussão dessa questão vamos apresentar um sistema, desenvolvido pelo Instituto Lumiar em parceria com a Microsoft, que incorpora essa visão e pode contribuir para a gestão da aprendizagem de qualquer escola que queira adotá-lo, sem qualquer custo.

3 – Por que vocês acham importante participar de um evento como a Interdidática (do ponto de vista dos palestrantes e para os visitantes também)?

Há muitas instituições e profissionais que investem na busca de inovação no uso da tecnologia na educação, e muitas têm conseguido resultados bastante interessantes. Trocar essas experiências é um grande privilégio, tanto para nós, palestrantes, quanto para as pessoas que visitam o evento.

—————–

Em São Paulo, 10 de Abril de 2009.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s